Sobre o treino

Como melhorar a memória?

A memória e o papel do treino

A perda de memória pode ter causas psicossociais, como ansiedade e depressão, ou biológicas, como a doença de Alzheimer – degenerativa, progressiva e sem cura. Suas consequências vão desde o esquecimento de nomes e objetos, até a perda parcial ou total da autonomia, prejudicando a qualidade de vida da pessoa e de quem a cerca.

O diagnóstico é realizado por um psiquiatra, neurologista ou geriatra, e o tratamento tipicamente feito com terapia e medicações. Nesta etapa é que entra em cena o treino de memória, como complemento à abordagem para potencializar seus resultados, levando à melhoria das capacidades cognitivas ou à redução da velocidade da perda.

Pouco conhecida no Brasil, em países como Inglaterra e Itália esta terapia já faz parte do sistema de saúde público por apresentar resultados comprovados. Visite meu currículo Lattes para conhecer meus artigos e estudos.


Para quem é

  • Adultos de todas as idades.
  • Pessoas saudáveis, que querem melhorar sua memória e/ou atenção, assim como prevenir futuros problemas.
  • Pessoas diagnosticadas com Comprometimento Cognitivo Leve, Doença de Alzheimer, demência Fronto-Temporal, demência por corpos de Lewy, bipolaridade, depressão, ansiedade, entre outras.

O treino é personalizado de acordo com as capacidades mentais de cada pessoa, tendo seu nível de dificuldade ajustado a cada caso.


Como funciona

O treino acontece uma ou duas vezes por semana, de forma individual ou em grupo, com duração entre 60 e 90 minutos. Os participantes realizam exercícios para aprimorar a habilidade em que mostram dificuldade, aprendendo estratégias para amenizar ou prevenir a perda de memória.